Publicado em 30/5/2021 às 17:46

30 coisas que você precisa saber sobre o SHORTS do YouTube

Por Agilso
Última atualização em 5/6/2021 às 21:55

É fato que o TikTok revolucionou a maneira que consumimos conteúdos e o Shorts é a resposta do Youtube a essa nova tendência de vídeos mais curtos, práticos e animados. Tem inúmeros Youtubers crescendo alucinadamente explorando os vídeos curtos, há quem chega a ganhar 50 mil inscritos num único dia.

O que são os Shorts?

Shorts são vídeos curtos, de 15 a 60 segundos, com formato de celular (retrato) numa pegada meio TikTok / Reels do Instagram.

O YouTube está veiculando os shorts na plataforma de uma forma diferente dos vídeos tradicionais, com um algoritmo agressivo e uma interface exclusiva pra esse tipo de visualização, que incentiva o espectador a assistir múltiplos vídeos e se inscrever rapidamente no canal do produtor. E isto está causando uma verdadeira explosão de crescimento na audiência de quem está sabendo fazer conteúdo desse tipo.

Lá vai: 30 dicas sobre os Shorts

A ideia deste post é listar pontos importantes para se ter em mente sobre o shorts. Eu pesquisei e cheguei aqui nestes 30 pontos essenciais que você precisa saber, incluindo as principais práticas dos criadores de sucesso estão fazendo nesse segmento. A última dica é a melhor.

  1. Foco de uso é total para celular, numa pegada meio que Tik Tok, usuário arrasta pra cima e vê mais vídeos.

  2. Para virar um Short, o vídeo tem que ter o formato retrato (vertical), tempo mínimo de 15 segundos e máximo de 60 segundos. É preciso usar a hashtag #shorts no título. Cuidado para não errar a hashtag. #short não funciona.

  3. Quando acertam, os shorts possuem alcance insano. Nesse período de testes há canais pequenos crescendo muito do zero, 50 mil inscritos e mais de 1M de views por dia.

  4. Um dos motivos para isso é o botão enorme de inscreva-se, muito mais fácil e acessível do que nos vídeos normais.

  5. Evite escrever texto em baixo, dá conflito com a interface que mostra o título bem ali.

  6. Tá aqui alguns exemplos de criadores que bombaram demais: Mágico, dental dentist, amanda 150 mil seguidores.

  7. Todo mundo pode criar shorts, não tem requisitos mínimos. Você pode criar mesmo que tenha 0 inscritos e tenha acabado de começar o canal. Diferente dos stories e das postagens na aba comunidades, quem tem mínimos de inscritos.

  8. É possível enviar shorts pelo PC, basta ser no formato recomendado e usar a hashtag #shorts no título. Na verdade, é a única maneira de fazer isso no Brasil por enquanto.

  9. No app do Youtube na Índia, está em beta um editor com várias funcionalidades como pausar, cortar, colocar música e outras. Bem parecido com o Tik Tok. Ainda não está disponível pro Brasil.

  10. Sobre a interface do app, há o enorme botão de se inscrever, não dá pra navegar pelo vídeo numa linha do tempo do vídeo (ou vê tudo ou pula). Com um clique o usuário dá pause e com dois cliques ele dá like no vídeo.

  11. Ao clicar numa hashtag do shorts ou no nome do canal, você vai pra uma área especial listando outros vídeos desta hashtag ou canal.

  12. Mesmo tendo uma interface exclusiva, shorts são vídeos normais do seu canal, vão ficar listado naquela aba de vídeos, também aparecem na pesquisa do youtube e no feed de inscrições. Vai ser recomendado normalmente.

  13. Shorts precisam seguir as diretrizes do Youtube: sem música autoral, sem conteúdo vulgar, tema sensível, etc...

  14. O Youtube criou uma prateleira do tipo carrosel para mostrar os shorts. Ela aparece na página inicial do app, no canal do criador e a partir de agora também está aparecendo nos resultados da busca.

  15. Os shorts que estouram são justamente aqueles que foram parar na prateleira do Youtube. É lá a terra prometida. É lá que seu vídeo curto vai estourar de views. O duro é chegar lá.

  16. Tem vídeo que vai parar na prateleira no mesmo dia de upload. Outros demoram meses. Só o Youtube sabe.

  17. Falando em prateleira, é possível adicionar uma seção de shorts na home do seu canal. Para inserir esse painel do tipo carrosel dos shorts, vá em: Youtube Studio -> Personalização -> Adicionar nova seção -> Vídeos curtos. Você pode clicar e arrastar para deixar a seção no local desejado.

  18. Uma curiosidade é que há poucos meses, essa seção do shorts só aparecia no celular, agora aparece no PC também.

  19. Vídeos antigos, upados há anos, que estão no formato certo podem ser tornar shorts automaticamente, mesmo sem a hashtag #shorts.

  20. Você pode fazer a thumb do vídeo para ser mostrada no seu canal, mas na prateleira de shorts, a imagem é selecionada automaticamente pelo Youtube. A imagem escolhida tende sempre ser uma pessoa ou rosto.

  21. O tempo assistido do shorts não conta naquelas 4 mil horas necessárias para monetizar o canal.

  22. Se visto pela prateleira do shorts, no celular, os shorts não são monetizados (por enquanto).

  23. Visto pelo canal, como um vídeo normal, aí os anúncios rolam normalmente e o vídeo é monetizado.

  24. Embora os shorts então não sejam monetizados, pois ainda não possuem anúncios, o Youtube criou um fundo de 100 milhões de dólares e está pagando os principais criadores dessa modalidade neste ano de 2021.

  25. O Youtube já confirmou que há planos de veicular anúncios nos shorts nos próximos meses. E aí eles serão monetizados também.

  26. Vídeos curtos afetam o watchtime do seu canal e taxa de retenção normalmente. Com os vídeos curtos, o tempo médio assistido no seu canal tende a cair. A taxa de retenção pode aumentar consideravelmente, se você emplacar um modelo de shorts que seu público curtir.

  27. Funcionários do Youtube já comentaram várias vezes que o algoritmo do plataforma leva em conta muito mais cada vídeo do que o canal como um todo. Basicamente, se tem vídeo novo, você tem nova chance de viralizar. Assim, o Youtube não vai penalizar seu canal, promovendo menos os outros vídeos, acredito. Em contrapartida, alguns criadores que começaram a fazer shorts relataram que isso não foi bem recebido pela sua audiência e perderam muitos inscritos. Na dúvida, faça testes.

  28. O próprio Youtube recomenda que seus shorts tenham 15 segundos (mesmo podendo ser mais tempo). A ideia é que o usuário assista ele inteiro. Se as pessoas não assistem seu shorts, isso pode ser um mal sinal pro Youtube e ele matar o alcance do seu vídeo. Especulação: se seu vídeo tiver uma retenção maior do que 100%, ou seja, as pessoas assistem eles várias vezes, a chance de parar no shelf e viralizar é enorme. Exemplos: vídeos de lista que não dá tempo de ler, final confuso, conversa sobre uma cena/local que não dá para enxergar muito bem.

  29. Princípio da entrega de valor imediata: os vídeos que bombam entregam valor e cumprem a promessa dentro do próprio vídeo, sem adiar, sem pedir para concluir uma ação extra. Não parecem um trailer e sim um conteúdo com começo, meio e fim.

  30. Fórmula: Os shorts que bombam tem hook (gancho) inicial muito forte. Esses vídeos puxam o espectador totalmente para dentro do vídeo em instantes. O resto do vídeo segue em passo rápido, animado e com novos pontos fortes em intervalos de no máximo 5 segundos. E a melhor parte do vídeo normalmente fica no final. Além disso, raramente tem algum Call to action, pois o vídeo é muito curto para isso. Se você souber como, o único CTA que vejo válido é chamar o cara inscrever-se. Os vídeos que performam melhor (views) não tem CTA.

Por hoje é só!